{ Resenha } Sétimo


Autor(a): André vianco

Ano de lançamento: 2002

Número de páginas: 460

Gênero: Terror

Classificação: 4/5



Sinopse: Um vampiro, desperto depois de quinhentos anos, abre os olhos numa terra estranha, nova e cheia de sangue. Sétimo decide fazer do Brasil seu novo lar, e para tanto terá de formar um verdadeiro exército de vampiros para demarcar seu território, exibir seu poder e dar combate aos caçadores. Elege um vampiro recém-criado (Tiago) para servi-lhe de guia, general e pupilo. Em sua sede por sangue e conquista, ao autoproclamar-se a criatura mais poderosa da terra, Sétimo atrai, além de vampiros, um sem-número de inimigos deste e do outro mundo. Esses inimigos despenderão de esforços sobre-humanos, empregando, além de armas carregadas com balas de prata, dentes pontiagudos e poderes paranormais. O espetáculo mais bizarro da terra não pode parar. 

***

ATENÇÃO: não leia esta resenha se você ainda não leu o livro "Os sete", pois este livro é uma sequencia da história e será quase impossível fazer a resenha de "Sétimo" sem dar algum spoiler do que tenha acontecido no final de "Os sete". 

***

André Vianco me conquistou com suas histórias e com sua escrita. "Sétimo" é mais uma prova do porque ele é considerado um dos maiores escritores brasileiros de terror da atualidade. Com sua escrita muito fluida, ele cativa o leitor a cada capítulo, prendendo sua atenção e o deixando cada vez mais curioso com o que possa vir acontecer na trama.
Na continuação de "Os sete", com o fim de cinco dos sete vampiros do Rio D'ouro (restando apenas Sétimo e Dom Afonso), Sétimo desperta após ingerir o sangue de Cezar. O humano fica aturdido ao ver que, sem querer, apenas com um ferimento jorrando sangue para a boca do vampiro, acaba despertando o mais perigoso e poderoso maldito do D'ouro. E em algumas partes chega até a ser engraçado, porque o monstro, em forma de um morcego gigante, começa a chama-lo de "pai".
Agora, com Sétimo desperto, Cezar, Tiago e Eliana decidem que é melhor ficarem por perto do vampiro. Não por uma questão de gosto, mas sim de necessidade. Cezar, porque foi jurado de morte por Dom Afonso, o vampiro-lobo que em "Os sete", foi derrotado pelo humano. Tiago, porque foi transformado em vampiro para salvar a vida da amada Eliana no primeiro livro da saga e a própria Eliana, a humana que decide acompanha-los por não querer se afastar do homem que ama. 
O problema é que Sétimo decide criar um exército de vampiros e combater seus caçadores. Quando não sabem mais o que fazer, o trio se afasta e decide acabar com os planos do vampiro. E é nesse enredo que a trama se desenvolve: Sétimo criando seu exército, Dom Afonso fazendo a mesma coisa, pois sabe que Sétimo irá atrás dele a procura de vingança (quem já leu o primeiro livro da saga saberá o motivo). O exército brasileiro tentando, a todo custo, exterminar com os vampiros; Tiago, Cezar e Eliana tentando aniquilar com a raça dos malditos, e ainda tem a aparição de um descendente do tão temido caçador de vampiros Tobia, citado tantas vezes no livro "Os sete". 
Para mim, algo "negativo" em relação aos livros de André Vianco, e eu coloco a palavra negativo entre aspas, pois essa é uma opinião particular, é que alguns dos seus capítulos são extremamente grandes, mas isso é apenas um detalhe, e eu super recomendo a leitura desse maravilhoso livro. Não só do livro, mas da saga toda. 




{ Resenha } 3% (Três por cento)


Titulo: 3% (Três por cento)

Ano de lançamento: 2016

Status: Em produção

Gênero: Ficção / drama

Classificação: 3/5



Essa foi a primeira série totalmente brasileira produzida pela Netflix. A primeira temporada é bem curta, com oito episódios com quarenta minutos cada um. Com uma história distópica, quem lê a sinopse pode até acha-la parecida com outras séries do mesmo tema, como "The 100" "Jogos Vorazes" "Divergente"... Porém eu vejo uma diferença entre a série 3% e essas outras: Em 3% os jovens tem a chance de escapar da vida de miséria que eles tem. 
Quando comecei a assistir demorei um pouco a me interessar pela trama, as vezes achando a história até um pouco massante. Até começar a entender o jogo político por traz de tudo o que acontece. 

Tudo começa com uma seleção, onde cada jovem de 20 anos de idade tem a chance de escapar da miséria total e passar a viver no "Maralto", um lugar com promessas de riqueza, fartura, paz... 
O processo seletivo é comandado por Ezequiel, que ao mesmo tempo que tem de comandar todo um processo, tem de se livrar da perseguição de alguns membros do conselho do "Maralto" que acha a sua forma de seleção um tanto extrema. É enviada, então, uma mulher para avalia-lo durante esse processo. Mas com um detalhe: ela quer tomar o lugar dele. E embora eu goste mais de "ação", a série me prendeu justamente por esse jogo político, onde ninguém sabe em quem pode confiar. E isso vale, também, para os candidatos. 

Isso porque, durante o processo de seleção para ver quem vai se tornar parte dos 3% e ir para o "Maralto", eles tem de passar por provas, algumas individuais e outras em grupo, mas cada um com sua personalidade, seu caráter e seus objetivos. Com o desenrolar da trama, o tele espectador começa a obter mais detalhes de cada personagem, e a partir desse ponto começa a torcer pela vitória de uns, e morte de outros. (Esse foi o meu caso. Sim, eu torci pela morte de alguns).
Juntando a tudo isso, ainda existe um grupo de rebeldes que acha o processo algo totalmente injusto e quer, a todo custo, acabar com o processo de seleção e dar, a toda população, uma vida mais justa. 
A série retrata bem a vida do cidadão brasileiro na atualidade. Tirando esse processo seletivo, claro, que na vida real não existe, nós vivemos em um mundo totalmente injusto, onde poucos tem muito, e muitos tem quase nada. 

video


{ Resenha } Santa Clarita Diet


Titulo: Santa Clarita Diet

Ano de lançamento: 2017

Status: Em produção

Gênero: Comédia

Classificação: 4/5



Eu sempre gostei de filmes e séries de comédia, e quando vi que a Netflix havia lançado esta, fiquei super empolgado para assistir, pois tem como protagonista a super atris Drew Barrymore. Quando assisti ao trailer confesso que fiquei meio que com um pé atrás em relação a história ser sobre uma mulher zumbi, mas que não é uma série de terror e sim de comédia.

A trama se passa em Santa Clarita, uma pequena cidade da Califórnia. Com foco principal no casal Sheila e Joel e um "pequeno probleminha" que muda completamente a vida tediosa que os dois tem. Algo sobrenatural acontece com Sheila quando ela passa mal e vomita muito (muito mesmo) e morre logo em seguida. Mas alguns minutos após o acontecimento que (para quem assistir a cena vai ficar chocado), sujou todo um quarto do piso ao teto, ela "volta a vida" apenas "um pouquinho morta". Ela muda totalmente sua personalidade de mulher pacata, retraída, que não gostava de fazer sexo com o marido, para uma mulher ousada, que fala o que pensa sem pensar nas consequências, com um desejo sexual insaciável, não sente mais sono, não sente mais dor, uma vontade incontrolável de comer carne toma conta dela... Sem saber o que fazer, Shaila, Joel e Abby, a filha do casal, vão até a casa do vizinho Eric, um nerd que é completamente apaixonado pela filha do casal. 

E essa parte ficou um pouco forçada, na minha opinião, pois ao invés de procurar um médico, um especialista, eles foram pedir a opinião de um adolescente. Eles até foram para um hospital, mas como o único sintoma era o vomito, ninguém deu muita atenção. Tudo bem, mas eles poderiam ter procurado outros hospitais. Após fazer algumas pesquisas, Eric chega a conclusão de que Sheila está morta. Simplesmente virou um zumbi. E essa foi outra parte que eu realmente espero que a Netflix explique na segunda temporada, pois o que aconteceu foi ela ter vomitado (muito) e depois ter virado um zumbi, mas sem nenhuma explicação de como isso poderia ter acontecido. 
Após essa descoberta (nem um pouco fantástica), o casal tem de começar a matar humanos para que Sheila se alimente. Eles, então, começam a caçar apenas criminosos, pois assim, eles pensam estar juntando o útil ao agradável. Alimentando Sheila, e livrando a sociedade de bandidos. E essas caçadas são muito engraçadas. A série é bem bobinha, mas com piadas muito bem elaboradas e inovadoras, fazendo qualquer pessoa dar boas risadas. Eu particularmente estou ansioso para assistir a segunda temporada, que, segundo a Netflix, está com o lançamento previsto para o ano que vem. 

video


{ Resenha } O Último desafio


Titulo: O Último desafio

Ano de lançamento: 2013

Tempo de duração: 1h e 47 minutos

Gênero: Ação

Classificação: 4/5



Esse não é um filme muito inovador na sua estética, o enredo é um tanto mediano, onde as cenas são tipicamente clichês dos filmes deste gênero. Lutas corporais, tiroteios, perseguições, sequestros... Mesmo assim, ele satisfaz quem o está assistindo, pois cumpre com seu papel de apenas entreter. É o tipico filme que vale a pena assistir quando se está querendo passar o tempo.
Talvez por causa de sua idade, Arnold Schwarzenegger não tem tem tantas cenas de ação quanto nos outros filmes, por isso ele recebe uma ajudinha brasileira de Rodrigo Santoro, que no enredo, o ajuda a se livrar dos bandidos. 

Tudo começa quando um perigoso traficante de drogas é preso, mas com o dinheiro e a influência que tem, consegue armar um plano para escapar quando ainda está sendo transferido.
Mas sua transferência era um sigilo, o que faz o detetive John Bannister, procurar por algum traidor na sua equipe que possa ter se vendido. No seu complexo plano de fuga, Gabriel Cortês pretende passar por uma cidade de clima desertino, que faz fronteira com o México, no Estado de Los Angeles. Mas o que ele não sabe, é que o xerife dessa pacata cidade, em conjunto com sua equipe que é formada por apenas cinco pessoas, fará de tudo para impedi-lo de atravessar a fronteira. E essa foi uma parte que me deixou bem surpreso, por que o que o FBI não conseguiu fazer, um xerife e uma equipe de cinco pessoas fez.  Eu gostei do filme. Como disse anteriormente, ele cumpre com seu papel proposto pelo gênero de entreter o tele espectador que está querendo passar o tempo de bobeira apenas assistindo um bom filme.

video


{ Resenha } Sense8


Titulo: Sense8

Ano de lançamento: 2015

Status: Em produção

Gênero: Ficção / drama

Classificação: 4/5


Essa não é uma série fácil, não é uma série onde qualquer pessoa vai compreender, e com certeza, não é uma série para pessoas que tem a mente fechada, para pessoas que são preconceituosas. Isso porque a série foge dos "padrões" da sexualidade tratada, geralmente, nos programas de TV. Eu acho que o fato de a série tratar de forma tão natural sobre a homossexualidade, mostrar cenas explicitas de sexo entre pessoas do mesmo sexo e ainda ter feito o sucesso que fez, é um tapa na cara da sociedade preconceituosa. 

Na minha opinião, o mais difícil da série foi contar histórias de oito pessoas diferentes, mas interliga-las ao mesmo tempo. Os oito personagens são: Nomi, uma transsexual lésbica e hacker que mora em São Francisco com sua namorada Amanita. Lito, um ator mexicano que não saiu do armário por causa da sua carreira. Will, um policial de Chicago (que na minha opinião é o personagem principal dentre os oitos. Mais na frente vocês vão saber o porque). Riley, uma Dj e futura namorada de Will. Wolfgang, um alemão, ladrão. Capheus, um motorista de ônibus em Nairobi. Kala, uma farmacêutica que mora na Índia. E Sun, uma Coreana, banqueira que luta karatê e que tem sua vida destruída pelo próprio irmão.  
Nenhum deles se conhecem pessoalmente, todo contato feito, toda visita feita é através de pensamentos. Tudo ocorre apenas na mente deles. Mas como assim? No início até eu não entendi muito bem, mas com o passar do tempo tudo foi ficando mais claro. 

Eles não são seres-humanos comuns, os chamados homo-sapiens. Eles são Homo-sensórium. Uma raça de humanos que ninguém acredita que exista, e os que acreditam que um dia possa ter existido alguém assim, pensa que já estão extintos. Eles fazem parte de um grupo de oito pessoas, filhos da mesma "mãe", que "deu a luz" a eles mentalmente no momento dos seus nascimentos. 
A história começa quando essa "mãe" deles, chamada Angélica, comete suicídio. Isso porque um tal de "sussurros", que faz parte de uma organização que caça os homo-sensórium, tem uma conexão mental com ela e através desta conexão, ele pode encontrar todas as outras pessoas que tem conexão com ela. Então para salvar a vida dessas pessoas, ela sacrifica a própria vida. A partir desse ponto os personagens começam a comunicar-se mentalmente, fazer visitas uns aos outros, o que deixam eles completamente confusos, claro. Quando eles começam a entender tudo o que está acontecendo e quem eles são de verdade, descobrem que existe uma organização que quer caça-los pois acham essa espécie, uma ameaça para a sociedade. Como eu disse mais acima, dos oito personagens principais, o principal é o Will, pois ele, sem querer, cria uma conexão com esse tal de "sussurros", que também é um homo-sensórium. Essa conexão faz com que tanto Will possa saber onde "sussurros" está, quanto ao contrário. O problema é que se o caçador encontrar Will, ele, consequentemente, consegue encontrar todos os outros de seu grupo. E essa é a batalha, não só de Will, mas de todo o grupo que o ajuda a fugir do "sussurros". 

Nessa série cada personagem tem sua vida, seus problemas, mas sempre que um precisa do outro, eles se ajudam. Mentalmente, claro. Outro ponto da série que eu adorei, foi a putaria. As cenas de sexo explicito, os palavrões, e com toda certeza do mundo, as surubas. Sim, existem surubas no decorrer da série! Confesso que muitos amigos meus assistiram a série e falavam maravilhas dela, e eu tive uma certa resistência para começar a assistir, tendo em minha mente, uma concepção já forma de que a série "não fazia meu gosto". Quebrei a cara. Eu simplesmente adorei e estou muito ansioso para o lançamento das próximas temporadas. 


video


O projeto

Olá, amados leitores!


Meu nome é Guilherme Andrade, sou escritor e criador desde humilde projeto. Projeto este, que tem como objetivo ajudar autores nacionais e independentes a divulgar suas obras de forma totalmente gratuita. Isso mesmo, totalmente grátis! 
Alguns devem estar pensando que sou, de certa forma, louco, por estar fazendo propaganda e divulgação de livros sem cobrar nada dos autores. Mas não é bem assim. O problema das pessoas, hoje em dia, é que só pensam em lucrar, deixando de lado aquela velha boa vontade de ajudar o próximo, pensando única e exclusivamente no dinheiro. 
A ideia do projeto surgiu quando eu escrevi meu primeiro livro, de forma totalmente independente. Após publica-lo comecei a querer divulga-lo, pois não adiantaria de nada publicar, e não divulgar para que as pessoas o lessem. Mas nada vinha em minha mente. Até que eu lembrei que sempre acompanhei youtubers com seus canais literários, onde eles fazem as resenhas e recomendações dos livros que leem. E aí eu pensei que poderia enviar meu livro e eles fazerem a resenha conforme fazem com tantos outros autores renomados mundo a fora. 
Mas eu tive um choque de realidade que não esperava!
Dos que responderam meus e-mails (porque não foram todos que tiveram a consideração de responder) queriam cobrar valores absurdos pela resenha. Mas o engraçado é que, para autores já conhecidos como Dan Brown, Harlan Coben, J. K. Rolling, entre outros, eles fazem a resenha de graça, pelo simples fato de gostarem muito do livro e quererem recomendar para outras pessoas lerem. Mas para autores que mais precisam desse espaço para divulgação, eles querem cobrar sem nem mesmo saber se o livro é bom ou não. E isso me deixou (para ser sincero) revoltado. 
Infelizmente o que eu vejo dos youtubers, blogueiros e até mesmo dos leitores brasileiros, é a completa desvalorização dos autores nacionais, e se for independente nem se fala...
Então partindo deste ponto eu comecei a pensar em uma forma de divulgar tanto os meus livros, quanto os livros de outros autores independentes. E foi assim que esse projeto surgiu. Para dar espaço aos autores nacionais e independentes a divulgar suas obras de forma totalmente gratuita. 
Um ponto importante em relação ao projeto independência literária, é que ele é voltado para autores nacionais e, principalmente, autores independentes, mas vocês também irão ver resenhas de autores internacionais e já conhecidos. Por que? Porque um bom livro, independente da sua autoria ou da sua forma de publicação, tem que ser recomendado.
Outro ponto é que nós também iremos fazer resenhas de filmes, séries, animes... Isso porque os filmes, as séries, os animes, assim como os livros, também fazem parte da vida cultural do ser humano. E esse é nosso maior objetivo: Compartilhar cultura. 

Divulgue seu livro!

Nós não cobramos nenhum valor para fazer as resenhas e divulgação dos livros de autores nacionais e independentes. Tudo o que pedimos, é que o autor siga o blog, cadastre seu e-mail, e compartilhe nossa ideia com seus amigos, familiares, leitores... Afinal de contas, uma ideia tão bacana como esta não pode morrer!
Após feito isso, basta enviar seu livro físico para o endereço abaixo, ou enviar o PDF do livro para o e-mail abaixo junto com a imagem da capa. Pronto! Seu livro estará na lista de leitura para resenhas do projeto independência literária. 
Mas eu devo ressaltar, algo que é lógico, mas que falarei para deixar bem claro. Mesmo fazendo todo o procedimento citado acima, seu livro só será divulgado se for aprovado no teste de qualidade do projeto. Isso inclui: história, escrita, ortografia, entre outros. 
Caso seu livro não seja aprovado para resenha e divulgação, não se preocupe. O independência literária não tem o objetivo de prejudicar ninguém, assim sendo, não iremos fazer a resenha com comentários negativos ou prejudiciais para a obra ou o autor. Resumindo: nós apenas não vamos fazer a resenha. Caso isso venha acontecer, iremos entrar em contato com o autor para lhe dar um retorno em relação ao seu livro, citando os pontos negativos da obra e o motivo para o qual a resenha não foi feita. 

Endereço para envio dos livros físicos:

Avenida Piracicaba
N° 599
Jardim São Paulo
Recife
Pernambuco
CEP: 50.790.250

E-mail para envio dos livros digitais: 

Gsa.silva.andrade.09@gmail.com



{ Resenha } Zé Calabros na Terra dos Cornos


Autor(a): Tiago Moreira

Ano de lançamento: 2017

Número de páginas: 498

Gênero: Fantasia

Classificação: 5/5



Sinopse: Entre a caatinga e o mar, a Cornália é uma terra hostil, governada por coronéis, ameaçada por cangaceiros e habitada por feras lendárias. É uma época de terror. O rei do cangaço se ergue no leste, isolando a região e espalhando violência em sua cruzada sangrenta. Porém, quando o errante Zé Calabros, cabra macho do sertão, salva a vida de um naufrago misterioso, inicia-se uma travessia perigosa por essa terra fantástica. 
No caminho, nossos heróis insólitos - e você, leitor - encontrarão engenhos terríveis, feiticeiros poderosos, monstros selvagens e bandidos cruéis. Essa é a jornada de Zé Calabros na Terra dos cornos. 

♦♦♦

Nesta obra de arte da literatura brasileira, senti-me transportado para outras terras, outros tempos, com criaturas mágicas, dragões, feiticeiros... Eu adorei a história do livro, a forma como o autor escreve, com a sutileza e delicadeza de usar a gíria do sotaque nordestino na fala de cada personagem. E por falar em personagens, esse é outro ponto que eu gostei. Cada um tem sua característica e importância para o desenvolvimento da trama. O que eu mais gostei foi justamente o personagem principal: Zé Calabros. 
Ele é o tipo de personagem que faz com que o leitor se apaixone por ele, por seu jeito de "ogro", com sua história... Zé Calabros vive na terra da Cornália, vagando, fazendo um bico aqui e ali para conseguir uns trocados apenas para suas necessidades básicas. Não é tipo de homem luxento. 
Ele é filho do coronel Calabros. Quando ainda era criança, viu sua família ser morta e/ou escravizada por monstros de terras distantes. Foi criado desde então em um orfanato até ter idade suficiente para ir embora, mas isso não foi empecilho para ele ir atrás de dois estranhos que estavam passando por sua terra, só por saber que eles iriam para as terras onde habitavam esses tais monstros que um dia levaram sua família. 
Convivendo por algum tempo com esses dois, Zé Calabros aprende a se tornar cabra macho, tão forte que ninguém na Cornália ousava disafia-lo ou questionar suas atitudes. Mas não pense que, com isso, ele era algum carrasco. Pelo contrário. Ele ajudava o povo! 
Sua jornada começa quando ele salva um naufrago em alto mar. Ele leva-o para a igreja e só então descobre que na verdade, se tratava de uma mulher. Seu nome é Mara'isa. Ela é uma magista e está estudando para se tornar uma poderosa feiticeira, mas para isso, ela precisa estudar cada elemento da magia em várias "escolas" diferentes. Sua próxima "escola" para seu próximo aprendizado é em um templo na terra de Dragona, mas para chegar até lá, ela precisará passar pela caatinga, área governada por perigosos cangaceiros. 
A pedido da clériga da igreja, que cresceu junto com Zé no orfanado, o errante do sertão dá a sua palavra de que irá levar a magista até seu destino em segurança, mesmo os dois não se dando bem, mesmo os dois brigando dia e noite... Durante a jornada eles enfrentam cangaceiros que estão tentando dominar a terra de Cornália. Os dois se aliam a dois coronéis e seus "soldados" para ajuda-los a acabar de uma vez por todas com esses malditos cangaceiros. E é ai que o autor surpreende o leitor com revelações do passado de Zé Calabros que tem ligações com esses cangaceiros. 
A história se desenvolve entre presente e passado, com uma escrita muito gostosa e fluente. E é por isso que estou aqui recomendando esse livro para leitura, pois ele é mais uma prova de que exitem muitas pessoas boas escrevendo, mas que não tem oportunidade de mostrar seu trabalho através das grandes editoras.