{ Resenha } Um amor interrompido, de E. N. Andrade


Autor(a): E. N. Andrade

Ano de lançamento: 2017

Número de páginas: 204

Gênero: Romance / Gay

Classificação: 4/5



Sinopse: Já seria difícil seguir em frente depois de passar por uma tempestade, mas e quando ainda há uma tempestade maior por vir? Thomas descobre um segredo do passado de sua família que muda a forma como ele via o mundo, o que torna sua vida ainda mais complicada e o faz deixar tudo para trás e partir em busca de refúgio. Ele entra na universidade de Cork, e se envolve com o misterioso Lenn James, que lhe apresenta uma forma perigosa de suportar todas as suas angústias. 

♦♦♦

Mais uma vez o autor E. N. Andrade prende seus leitores com uma história fascinante. Em um amor interrompido, a história de amor entre Thomas e Max se transforma em um drama, repleto de transtornos psicológicos, drogas, paixão... O que prende o autor do inicio ao fim. Em certos pontos a história parece estar parada, mas sem perceber, o leitor se pega cada vez mais empolgado para saber o que vai acontecer na sequencia de um amor singular. 
Neste livro, Thomas, após descobrir um segredo do passado de sua família, decide se afastar e parti para a Irlanda, onde foi aceito na faculdade de Cork para cursar medicina. Mas devido a seu passado conturbado, a faculdade exige que Thomas faça parte de um grupo de apoio psicológico, caso contrario não poderia estudar naquela instituição. (Esse grupo de apoio me lembrou muito o grupo de apoio do livro a culpa é das estrelas, pois nos dois casos os personagens principais são obrigados a participar desse tal grupo de apoio).
Os dias vão passando tranquilamente, e finalmente chega o tão odiado dia de ir para o grupo de apoio. Lá, Thomas conhece várias pessoas, mas uma delas se destaca. Lenn James. Um garoto com olhar misterioso, personalidade forte... O que deixou Thomas completamente atraído. E mesmo com todas as pessoas ao seu redor lhe falando que esse cara era encrenca, Thomas acaba se envolvendo com esse tal de Lenn James. 
E realmente ele era encrenca. Lenn James era dependente químico e viciado em heroína. O que, claro que juntando com a dor e o sofrimento de Thomas, não iria dar muito certo. Thomas acaba experimentando a droga e, consequentemente, se tornando um viciado. E é nesse universo de drama, sofrimento, paixão, drogas... Que a história de um amor interrompido se passa. 
Para quem leu o primeiro livro da trilogia e gostou, eu super recomendo a leitura do segundo livro, pois vale muito a pena continuar acompanhando essa história. 


{ Resenha } Um amor singular, de E. N. Andrade


Autor(a): E. N. Andrade

Ano de lançamento: 2017

Número de páginas: 385

Gênero: Romance / Gay

Classificação: 5/5



Sinopse: Tom e Max, amigos desde infância, viviam uma relação harmoniosa de cumplicidade, eram inseparáveis. Até que o furacão Loren Shields, a filha do prefeito, chegou e bagunçou tudo que eles tinham por sua inveja e obsessão. Após sua bombástica festa de aniversario, o dois amigos desencadearam um sentimento mais forte, um  amor confuso e cheio de complicações que logo resultou em ameaças. É ai que Tom se vê em uma situação difícil. Precisa abrir mão de tudo para que a reputação de Max como capitão do time de futebol não seja desfeita. Some isso á chegada de mais uma pessoa que pode complicar ainda mais a situação dos dois e levá-los a acontecimentos que poderão alterar suas vidas para sempre. 

♦♦♦

Faltam-me palavras para descrever tudo o que senti quando li este livro. Eu me apeguei a ele de uma forma que não conseguia parar de ler, e quando eu precisava parar para ir dormir por que no dia seguinte tinha algum compromisso, era praticamente uma tortura. Eu parava de ler, mas continuava pensando nele, o que me causava insônia. 
Foram poucos os livros que despertaram em mim sentimentos tão destintos e tão intensos com cada personagem, e quando um livro causa isso na gente, realmente é algo maravilhoso. 
Um amor singular conta a história de Thomas (vulgo tomtom) e Maximilian (vulgo Max). Dois adolescentes completamente diferentes um do outro. Thomas é um nerd lascado, pobretão e ignorado/odiado por todos a sua volta, inclusive seu próprio pai. Max é o queridinho da escola, capitão do time de futebol, super popular e ainda por cima é rico. 
E o que eles tem em comum? 
Os dois são super melhores amigos, daquele tipo que não fazem nada sozinhos, que vivem grudados... (Eu já tive um amigo assim e tenho certeza que vocês também tem ou já tiveram). A amizade dos dois é completamente abalada por causa de um "ser" (que se for colocada do lado do próprio Lúcifer, ele vai perder no quesito maldade). Eu to falando de Loren, a filha do prefeito e, namorada/peguete de Max. 
Thomas passa pelo inferno por causa dessa garota, e além desse problema com seu melhor amigo, ele ainda tem de enfrentar grandes problemas que envolvem sua família. 
Esse é mais um livro que mostra o talento de autores independentes, que mesmo não tendo apoio ou oportunidade das editoras, continuam agraciando o leitor com belas histórias. 


{ Resenha } A lista negra, de Jennifer Brow


Autor(a): Jennifer brow

Ano de lançamento: 2012

Número de páginas: 256

Gênero: Romance

Classificação: 4/5



Sinopse: A lista foi ideia minha, não queria que ninguém morresse, não queria ser uma heroína... Será que um dia você vai me perdoar? 

♦♦♦

Esse não é um romance bonitinho, com uma bela história de amor, com um belo piquenique em uma manha de sol, onde o amor fortalece os personagens para cada barreira que surge durante suas vidas... Essa é uma história, de certa forma, triste, pois conta a história de Valeri. Uma adolescente meio gótica, meio pank, calada, um pouco afastada das pessoas, e por causa desse seu jeito ela acaba sofrente muito bulling na escola em que estuda. Para vocês terem noção, um dos apelidos de Valeri é "irmã da morte" (e é obvio que ela odeia esse apelido). Mas um dia surge um garoto, chamado Nick, com seu mesmo estilo, com sua mesma personalidade, o que faz com que os dois se aproximem. Com o tempo a amizade se transforma em namoro, e a partir desse momento, não só Valeri sofre o bulling, mas Nick também. 
Para tentar extravasar a raiva que sentia, como uma forma de desabafo, Valeri decide criar uma lista onde ela coloca o nome de todas as pessoas que ela mais odeia na escola e tudo o que queria que acontecesse com elas. (E são coisas bem Heavy metal). 
Conforme os dias vão passando o bulling que os dois sofrem vai aumentando. E a galera pega pesado. O bulling chega ao ponto da agressão física. (E o que me revolta é que os dois são completamente passivos, não fazem nada para acabar com aquilo). Até que um dia Nick decide dar um fim em toda aquela história. 
Ele leva um arma para a escola e, na hora do almoço, quando todos estavam no refeitório, o garoto vai ao encontro de todos que estão com os nomes na lista que Valeri tinha criado e abre fogo contra todas elas. Valeri fica completamento atordoada, desesperada, e tenta impedi-lo, mas acaba levando um tiro. Quando Nick vê sua namorada caída no chão, desmaiada, fica completamente perturbado pensando que a tinha matado, e então comete suicídio. 
Após o acontecimento á toda uma investigação para saber se Valeri era ou não cúmplice de Nick naquele atentado, pois os policiais encontraram na casa dela, a famosa lista negra. Quando todo o alvoroço passa, Valeri é inocentada e obrigada a voltar a conviver com as pessoas que ela tanto odeia, e o pior, sem o garoto que ela tanto amava. 
A história desse livro é muito forte. Ela trata de um assunto muito comum nas escolas, mas que poucas pessoas falam a respeito. Talvez seja vergonha, da parte das crianças, talvez seja culpa dos adultos que preferem "fechar os olhos" para o que possa estar acontecendo ao seu redor... Seja o que for, vale muito a pena ler uma história que trata de um assunto tão sério e de uma forma tão realística.


{ Resenha } Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto




Autor(a): Lima Barreto

Ano de lançamento: 1915

Número de páginas: 352

Gênero: Romance

Classificação: 4/5






Sinopse: "Triste fim de Policarpo Quaresma", de Lima barreto, é uma das principais expressões ficcionais do quadro social brasileiro dos primeiros anos da república. Considerada representante do pré-modernismo brasileiro, a obra discute o conceito de leitura como instrumento de denuncia social, trazendo a tona questões como o nacionalismo e a opressão aos desfavorecidos. As atividades a seguir pretendem ampliar a compreensão desta obra e de seu tempo. Desenvolva-as após a leitura do livro, dos diários de um clássico, da contextualização histórica e da entrevista imaginária. 

♦♦♦

Este é um grande clássico da literatura brasileira, um dos primeiros clássicos que li. Na verdade esse foi um dos primeiros livros que li na minha vida. E foi de uma forma bem peculiar. Por que quando eu comecei a tomar gosto pela leitura, minha mãe não tinha condições financeiras para estar comprando livros para mim, então eu ficava lendo em uma livraria que tinha dentro de um shopping que ficava em frente a escola que eu estudava. Eu passava horas lá dentro, e foi assim que li, tanto esse livro, como muitos outros. 
Mas pelo amor de Deus! Não deixe de ler essa essa resenha só pelo fato desse livro ser um clássico da literatura brasileira! Por que, infelizmente, as pessoas acham muito "chatos" os livros clássicos. Mas eu não as culpo. Eu culpo as escolas, pois quer empurrar para uma criança ler esses grandes clássicos, onde muitas vezes, elas não estão entendendo nada do que estão lendo. Ai a criança vai crescendo com a ideia na cabeça de que livros brasileiros, e principalmente os clássicos, são chatos. 
Mas tudo bem. 
Triste fim de Policarpo Quaresma conta a história de um brasileiro autêntico, nacionalista, patriota, daqueles que orgulho do seu país... Na verdade ele era meio "dodoi" da cabeça. Eu digo isso por que Policarpo Quaresma era um nacionalista doente! Suas roupas, para vocês terem uma noção, tinham que ser fabricadas no Brasil, com tecidos brasileiros. A comida que ele comia, tinha que ser brasileira, nada desse negocio de comida japonesa, mexicana, árabe... Ele não comia nada disso e nem deixava que outras pessoas levassem para sua casa. 
O major, como era conhecido, era tão obcecado pelo Brasil, que aprendeu a falar o Tupi-guarani pelo simples fato de ser a língua nativa do país. Ele também escreveu uma carta para o presidente solicitando que o Brasil voltasse a falar o Tupi-guarani e abandonasse a língua portuguesa, e detalhe, ele escreveu a carta em Tupi-guarani. Claro que o presidente ignorou aquela história. 
Mas não satisfeito com a carta, Policarpo Quaresma entra na justiça contra o governo do próprio país para que o Brasil voltasse a falar sua língua nativa. Ele acaba virando chacota por onde passa, e só então percebe que seu nacionalismo é uma doença. O problema é que Policarpo Quaresma é uma pessoa muito extrema. Extremo no seu nacionalismo, e extremo para tentar se livrar dele. E o que ele faz? Por livre e espontânea vontade, Policarpo se interna em um hospital psiquiátrico.
Com uma narrativa de fortes criticas aos acontecimentos da época, Lima barreto conta a história desse brasileiro que, acima de tudo, tem amor a sua pátria e que por causa disso, passa por situações bem inusitadas.  


{ Resenha } O saotur, de Natalia Smirnova Moraes


Autor(a): Natalia Smirnova Moraes

Ano de lançamento: 2016

Número de páginas: 324

Gênero: Ficção / fantasia

Classificação: 4/5



Sinopse: Depois de se aventurar pelo mundo em um navio de saqueadores e criminosos, Constantin Teller é levado por um trágico naufrágio á terras das quais nunca ouviu falar. Terras guardadas por escudos de Menelau como se fossem o maior dos segredos. O forasteiro é resgatado por Lyhty Morken Fin, uma jovem que chama a atenção pelo olhar cor de purpura e vitalidade contagiante, e que torna-se uma amiga para qual ele confessa uma vida de crimes e promiscuidade. Aspirante a escritor, Constantin deseja espiar seus crimes quando é levado até a capital onde passa a morar. Mas nem tudo está em paz nessas terras estranhas e a aparição do forasteiro apenas esquenta ainda mais os ânimos de um povo dividido, de uma raça oprimida e de um castelo envolto em mistérios. Um confronto entre o povo das águas e a reino já é inevitável. 


♦♦♦

Quando li esse livro, senti que fui transportado para outro tempo. O tempo dos castelos, dos reis... O tempo onde criaturas místicas ainda vagavam pela terra, convivendo com os humanos, embora nem sempre de forma amigável. A qualidade da escrita, sua história, seus mistérios, prenderam minha atenção do inicio ao fim, pois já nas primeiras páginas, deixava uma interrogação ao qual eu precisava encontrar as respostas. 
Os personagens são outro ponto positivo. Todos com personalidades fortes, cada um com uma peculiaridade que chama a atenção do leitor. O primeiro é Constantin Teller, um pirata muito incomum que ao invés de se preocupar com os ouros e mercadorias advindas dos saques da tripulação, tem o sonho de se tornar um escritor. A segunda é Lyhty Morken Fin. Uma adolescente que chama a atenção de todos por seu olhar cor de purpura. Tem também Helena, a mulher que foi condenada por se apaixonar e ter um filho com Lotus, um saotur. (Os saotur são criaturas marinhas, mas com corpos humanoides, com garras venenosas e que se alimentam de todo tipo de carne inclusive a de humanos). Outro personagem marcante é  o chefe da guarda do castelo, Orpheu, que junto com seus companheiros de trabalho, Vlad e Paeron, dão a história um toque que a mais de mistério com suas ações a cada capítulo. 
Tudo começa quando o navio pirata que Constantin faz parte é atacado e sofre um naufrágio. Todos da tripulação são mortos e ele acorda em uma praia completamente atordoado, com lembranças, apenas, de estar deitado sob um pedaço de madeira e sendo empurrado por alguma criatura de mãos cinzentas, onde no lugar dos dedos haviam garras, mas suas lembranças eram apenas fleches do que ele não sabia se era realidade ou sonho. 
Ele é socorrido por Lyhty, que se torna responsável pelo forasteiro até que os guardas do castelo vão busca-lo para saber como ele havia conseguido "invadir" as terras daquele reino. Com o desenvolvimento da história Constantin descobre que sua vida havia sido salva por Saphere, o pequeno saotur, filho do amor impossível entre Helena e Lotus. 
Completamente fascinado pelo reino que havia descoberto, Constantin decide deixar seu passado de crimes para trás e fazer daquelas terras seu mais novo lar. Mas a paz não iria durar, pois os saotur (o povo das águas) cansados da vida de medo, omissão e fome, decidem enfrentar os humanos para dar um fim a todo o sofrimento. 
Após o término do livro, a autora deixa o leitor completamente boquiaberto e curioso para saber tudo o que vai acontecer no segundo livro da trilogia segredos de um reino sem nome. Para os apaixonados por ficção e fantasia, assim como eu, e ainda não leu o saotur, vale a pena conferir esta obra que mostra o talento e criatividade de autores independentes. 


{ Resenha } Guerra santa, de Guilherme Andrade


Autor(a): Guilherme Andrade

Ano de lançamento: 2016

Número de páginas: 216

Gênero: Ficção / fantasia

Classificação: 5/5



Sinopse: Após receber a notícia de que seu pai foi assassinado, Shaylla Petrovit descobre que ele era um demônio e que ela herdou seus poderes. Nesse turbilhão de sentimentos e informações, Izabel Petrovit, mãe de Shaylla, foi levada para o inferno pelo filho de Lúcifer, que exigiu em troca da vida dela, duas poderosas joias que dão a quem possuí-las imortalidade e poder infinito. Começa, então, uma batalha contra o tempo para Shayllha encontrar essas misteriosas joias e salvar a vida de sua mãe. Descubra o final dessa história cheia de ação, aventura e amores proibidos. 


♦♦♦


Bom, galerinha, este foi meu primeiro livro publicado de forma totalmente independente em 2016 pela plataforma Clube de autores. Eu não vou dizer aqui para vocês comprarem o livro, que ele é ótimo e que vai valer a pena cada centavo... Isso seria uma hipocrisia da minha parte. O que eu posso dizer é que esse livro recebeu propostas de duas editoras querendo publicá-lo, uma delas conhecida mundialmente, com autores já conhecidos como André Vianco em sua lista de contratados. 
A história de Guerra santa se passa em Roma, e conta a vida de Shaylla Petrovit, uma adolescente "normal" que não gosta de muitos contatos com as pessoas, ela prefere ficar sozinha em seu canto, escutando músicas, desenhando... 
Até que um dia tudo muda. Enquanto estava na escola Shaylla recebe uma ligação de sua mãe pedindo para ela e o irmão irem para casa, o que a deixa muito preocupado, pois ela estava com uma voz de quem havia chorado. 
Quando chegam em casa, Shaylla e seu irmão, Seeth, veem sua mãe em um sofá, chorando, completamente desolada... Após bombardearem Izabel de perguntas para saber o que tinha acontecido, os dois irmãos acabam recebendo três notícias. 
1 - O pai deles tinha sido assassinado,
2 - Ele era um demônio,
3 - Shaylla havia herdado seus poderes. 
Como se não bastasse todas essas informações surreais, Izabel Petrovit ainda é levada para o inferno por Lúcios, o filho de Lúcifer, que exigiu em troca da vida dela as Joias do milênio. O problema é que Shaylla não tinha a menor ideia do que eram essas tais Joias do milênio, pois Izabel e Gadriel, sempre esconderam da filha sobre esse mundo de anjos, demônios, magia... Ao qual ela pertencia. 
Shaylla acaba ganhando a ajuda de feiticeiros e de alguns anjos que querem, a todo custo, impedir Lúcifer e seu filho de colocarem as mãos nessas poderosas joias. 
Eu sinceramente espero que vocês leiam e que gostem, pois este livro foi escrito com muito carinho!