{ Resenha } Sense8


Titulo: Sense8

Ano de lançamento: 2015

Status: Em produção

Gênero: Ficção / drama

Classificação: 4/5


Essa não é uma série fácil, não é uma série onde qualquer pessoa vai compreender, e com certeza, não é uma série para pessoas que tem a mente fechada, para pessoas que são preconceituosas. Isso porque a série foge dos "padrões" da sexualidade tratada, geralmente, nos programas de TV. Eu acho que o fato de a série tratar de forma tão natural sobre a homossexualidade, mostrar cenas explicitas de sexo entre pessoas do mesmo sexo e ainda ter feito o sucesso que fez, é um tapa na cara da sociedade preconceituosa. 

Na minha opinião, o mais difícil da série foi contar histórias de oito pessoas diferentes, mas interliga-las ao mesmo tempo. Os oito personagens são: Nomi, uma transsexual lésbica e hacker que mora em São Francisco com sua namorada Amanita. Lito, um ator mexicano que não saiu do armário por causa da sua carreira. Will, um policial de Chicago (que na minha opinião é o personagem principal dentre os oitos. Mais na frente vocês vão saber o porque). Riley, uma Dj e futura namorada de Will. Wolfgang, um alemão, ladrão. Capheus, um motorista de ônibus em Nairobi. Kala, uma farmacêutica que mora na Índia. E Sun, uma Coreana, banqueira que luta karatê e que tem sua vida destruída pelo próprio irmão.  
Nenhum deles se conhecem pessoalmente, todo contato feito, toda visita feita é através de pensamentos. Tudo ocorre apenas na mente deles. Mas como assim? No início até eu não entendi muito bem, mas com o passar do tempo tudo foi ficando mais claro. 

Eles não são seres-humanos comuns, os chamados homo-sapiens. Eles são Homo-sensórium. Uma raça de humanos que ninguém acredita que exista, e os que acreditam que um dia possa ter existido alguém assim, pensa que já estão extintos. Eles fazem parte de um grupo de oito pessoas, filhos da mesma "mãe", que "deu a luz" a eles mentalmente no momento dos seus nascimentos. 
A história começa quando essa "mãe" deles, chamada Angélica, comete suicídio. Isso porque um tal de "sussurros", que faz parte de uma organização que caça os homo-sensórium, tem uma conexão mental com ela e através desta conexão, ele pode encontrar todas as outras pessoas que tem conexão com ela. Então para salvar a vida dessas pessoas, ela sacrifica a própria vida. A partir desse ponto os personagens começam a comunicar-se mentalmente, fazer visitas uns aos outros, o que deixam eles completamente confusos, claro. Quando eles começam a entender tudo o que está acontecendo e quem eles são de verdade, descobrem que existe uma organização que quer caça-los pois acham essa espécie, uma ameaça para a sociedade. Como eu disse mais acima, dos oito personagens principais, o principal é o Will, pois ele, sem querer, cria uma conexão com esse tal de "sussurros", que também é um homo-sensórium. Essa conexão faz com que tanto Will possa saber onde "sussurros" está, quanto ao contrário. O problema é que se o caçador encontrar Will, ele, consequentemente, consegue encontrar todos os outros de seu grupo. E essa é a batalha, não só de Will, mas de todo o grupo que o ajuda a fugir do "sussurros". 

Nessa série cada personagem tem sua vida, seus problemas, mas sempre que um precisa do outro, eles se ajudam. Mentalmente, claro. Outro ponto da série que eu adorei, foi a putaria. As cenas de sexo explicito, os palavrões, e com toda certeza do mundo, as surubas. Sim, existem surubas no decorrer da série! Confesso que muitos amigos meus assistiram a série e falavam maravilhas dela, e eu tive uma certa resistência para começar a assistir, tendo em minha mente, uma concepção já forma de que a série "não fazia meu gosto". Quebrei a cara. Eu simplesmente adorei e estou muito ansioso para o lançamento das próximas temporadas. 




O projeto

Olá, amados leitores!


Meu nome é Guilherme Andrade, sou escritor e criador desde humilde projeto. Projeto este, que tem como objetivo ajudar autores nacionais e independentes a divulgar suas obras de forma totalmente gratuita. Isso mesmo, totalmente grátis! 
Alguns devem estar pensando que sou, de certa forma, louco, por estar fazendo propaganda e divulgação de livros sem cobrar nada dos autores. Mas não é bem assim. O problema das pessoas, hoje em dia, é que só pensam em lucrar, deixando de lado aquela velha boa vontade de ajudar o próximo, pensando única e exclusivamente no dinheiro. 
A ideia do projeto surgiu quando eu escrevi meu primeiro livro, de forma totalmente independente. Após publica-lo comecei a querer divulga-lo, pois não adiantaria de nada publicar, e não divulgar para que as pessoas o lessem. Mas nada vinha em minha mente. Até que eu lembrei que sempre acompanhei youtubers com seus canais literários, onde eles fazem as resenhas e recomendações dos livros que leem. E aí eu pensei que poderia enviar meu livro e eles fazerem a resenha conforme fazem com tantos outros autores renomados mundo a fora. 
Mas eu tive um choque de realidade que não esperava!
Dos que responderam meus e-mails (porque não foram todos que tiveram a consideração de responder) queriam cobrar valores absurdos pela resenha. Mas o engraçado é que, para autores já conhecidos como Dan Brown, Harlan Coben, J. K. Rolling, entre outros, eles fazem a resenha de graça, pelo simples fato de gostarem muito do livro e quererem recomendar para outras pessoas lerem. Mas para autores que mais precisam desse espaço para divulgação, eles querem cobrar sem nem mesmo saber se o livro é bom ou não. E isso me deixou (para ser sincero) revoltado. 
Infelizmente o que eu vejo dos youtubers, blogueiros e até mesmo dos leitores brasileiros, é a completa desvalorização dos autores nacionais, e se for independente nem se fala...
Então partindo deste ponto eu comecei a pensar em uma forma de divulgar tanto os meus livros, quanto os livros de outros autores independentes. E foi assim que esse projeto surgiu. Para dar espaço aos autores nacionais e independentes a divulgar suas obras de forma totalmente gratuita. 
Um ponto importante em relação ao projeto independência literária, é que ele é voltado para autores nacionais e, principalmente, autores independentes, mas vocês também irão ver resenhas de autores internacionais e já conhecidos. Por que? Porque um bom livro, independente da sua autoria ou da sua forma de publicação, tem que ser recomendado.
Outro ponto é que nós também iremos fazer resenhas de filmes, séries, animes... Isso porque os filmes, as séries, os animes, assim como os livros, também fazem parte da vida cultural do ser humano. E esse é nosso maior objetivo: Compartilhar cultura. 

Divulgue seu livro!

Nós não cobramos nenhum valor para fazer as resenhas e divulgação dos livros de autores nacionais e independentes. Tudo o que pedimos, é que o autor siga o blog, cadastre seu e-mail, e compartilhe nossa ideia com seus amigos, familiares, leitores... Afinal de contas, uma ideia tão bacana como esta não pode morrer!
Após feito isso, basta enviar seu livro físico para o endereço abaixo, ou enviar o PDF do livro para o e-mail abaixo junto com a imagem da capa. Pronto! Seu livro estará na lista de leitura para resenhas do projeto independência literária. 
Mas eu devo ressaltar, algo que é lógico, mas que falarei para deixar bem claro. Mesmo fazendo todo o procedimento citado acima, seu livro só será divulgado se for aprovado no teste de qualidade do projeto. Isso inclui: história, escrita, ortografia, entre outros. 
Caso seu livro não seja aprovado para resenha e divulgação, não se preocupe. O independência literária não tem o objetivo de prejudicar ninguém, assim sendo, não iremos fazer a resenha com comentários negativos ou prejudiciais para a obra ou o autor. Resumindo: nós apenas não vamos fazer a resenha. Caso isso venha acontecer, iremos entrar em contato com o autor para lhe dar um retorno em relação ao seu livro, citando os pontos negativos da obra e o motivo para o qual a resenha não foi feita. 

Endereço para envio dos livros físicos:

Avenida Piracicaba
N° 599
Jardim São Paulo
Recife
Pernambuco
CEP: 50.790.250

E-mail para envio dos livros digitais: 

Gsa.silva.andrade.09@gmail.com



{ Resenha } Zé Calabros na Terra dos Cornos


Autor(a): Tiago Moreira

Ano de lançamento: 2017

Número de páginas: 498

Gênero: Fantasia

Classificação: 5/5



Sinopse: Entre a caatinga e o mar, a Cornália é uma terra hostil, governada por coronéis, ameaçada por cangaceiros e habitada por feras lendárias. É uma época de terror. O rei do cangaço se ergue no leste, isolando a região e espalhando violência em sua cruzada sangrenta. Porém, quando o errante Zé Calabros, cabra macho do sertão, salva a vida de um naufrago misterioso, inicia-se uma travessia perigosa por essa terra fantástica. 
No caminho, nossos heróis insólitos - e você, leitor - encontrarão engenhos terríveis, feiticeiros poderosos, monstros selvagens e bandidos cruéis. Essa é a jornada de Zé Calabros na Terra dos cornos. 

♦♦♦

Nesta obra de arte da literatura brasileira, senti-me transportado para outras terras, outros tempos, com criaturas mágicas, dragões, feiticeiros... Eu adorei a história do livro, a forma como o autor escreve, com a sutileza e delicadeza de usar a gíria do sotaque nordestino na fala de cada personagem. E por falar em personagens, esse é outro ponto que eu gostei. Cada um tem sua característica e importância para o desenvolvimento da trama. O que eu mais gostei foi justamente o personagem principal: Zé Calabros. 
Ele é o tipo de personagem que faz com que o leitor se apaixone por ele, por seu jeito de "ogro", com sua história... Zé Calabros vive na terra da Cornália, vagando, fazendo um bico aqui e ali para conseguir uns trocados apenas para suas necessidades básicas. Não é tipo de homem luxento. 
Ele é filho do coronel Calabros. Quando ainda era criança, viu sua família ser morta e/ou escravizada por monstros de terras distantes. Foi criado desde então em um orfanato até ter idade suficiente para ir embora, mas isso não foi empecilho para ele ir atrás de dois estranhos que estavam passando por sua terra, só por saber que eles iriam para as terras onde habitavam esses tais monstros que um dia levaram sua família. 
Convivendo por algum tempo com esses dois, Zé Calabros aprende a se tornar cabra macho, tão forte que ninguém na Cornália ousava disafia-lo ou questionar suas atitudes. Mas não pense que, com isso, ele era algum carrasco. Pelo contrário. Ele ajudava o povo! 
Sua jornada começa quando ele salva um naufrago em alto mar. Ele leva-o para a igreja e só então descobre que na verdade, se tratava de uma mulher. Seu nome é Mara'isa. Ela é uma magista e está estudando para se tornar uma poderosa feiticeira, mas para isso, ela precisa estudar cada elemento da magia em várias "escolas" diferentes. Sua próxima "escola" para seu próximo aprendizado é em um templo na terra de Dragona, mas para chegar até lá, ela precisará passar pela caatinga, área governada por perigosos cangaceiros. 
A pedido da clériga da igreja, que cresceu junto com Zé no orfanado, o errante do sertão dá a sua palavra de que irá levar a magista até seu destino em segurança, mesmo os dois não se dando bem, mesmo os dois brigando dia e noite... Durante a jornada eles enfrentam cangaceiros que estão tentando dominar a terra de Cornália. Os dois se aliam a dois coronéis e seus "soldados" para ajuda-los a acabar de uma vez por todas com esses malditos cangaceiros. E é ai que o autor surpreende o leitor com revelações do passado de Zé Calabros que tem ligações com esses cangaceiros. 
A história se desenvolve entre presente e passado, com uma escrita muito gostosa e fluente. E é por isso que estou aqui recomendando esse livro para leitura, pois ele é mais uma prova de que exitem muitas pessoas boas escrevendo, mas que não tem oportunidade de mostrar seu trabalho através das grandes editoras. 




{ Resenha } O auto da compadecida



Titulo: O auto da compadecida

Ano de lançamento: 1999

Tempo de duração: 2h e 38 minutos

Gênero: Comédia / drama

Classificação: 5/5



Esse é um dos melhores filmes brasileiros de todos os tempos! É uma adaptação do livro e peça teatral de mesmo nome, do autor Ariano Suassuna. É o filme brasileiro de maior bilheteria no ano de 2000, sendo visto por mais de 2 milhões de pessoas. 
Eu era muito novinho quando assisti esse filme pela primeira vez, e até hoje, quando assisto, morro de rir. As piadas e as cenas bestinhas, em conjunto com os personagens hilários como João Grilo e Xicó, são motivos mais que suficientes para qualquer pessoa esquecer os problemas por um tempo e se esbaldar nas risadas. 
O enredo do filme se desenvolve com ambientação no sertão nordestino, mais especificamente no sertão da Paraíba. Tem como personagens principais "João Grilo", sertanejo mentiroso, e "Xicó", o maior covarde da região. Ambos são muito pobres e sobrevivem de pequenos negócios e golpes, enquanto vagam pelo sertão. 
Uma das trambicadas mais engraçadas é quando a cachorra da esposa do padeiro, patrão de João Grilo e Xicó, falece e ela, que é louca pelo animal de estimação a um ponto de dar a ela comer bife passado na manteiga, pede aos dois para irem a igreja pedir ao padre para enterrar o bichinho, e detalhe, tem que ser em latim. Eles armam a maior confusão para conseguirem convencer o padre a fazer isso e até o bispo entra na roda! Após isso, para tentar ganhar um trocado a mais, João Grilo ainda inventa para a patroa que tem um gato que "descome dinheiro" e vende para ela. E esses dois ainda aprontam muito mais no desenrolar da trama.

Outro ponto muito, mas muito positivo em relação a esse filme são os personagens. Todos com suas características que encantam qualquer pessoa que esteja assistindo. 
Os primeiros são o padeiro, um corno metido a cabra macho, e sua esposa, que todo mundo sabe que bota chifre no marido, inclusive ele, mas todos fingem que não sabe. Depois ainda vem o padre, um interesseiro que só pensa em dinheiro e super valoriza todas as pessoas com quem ele possa ter alguma vantagem financeira. O bispo, que tem a mesma personalidade do padre. O cangaceiro Severino, chefe do bando que tem como um dos malfeitores, um cabra que é bandido, mas não gosta nem de matar nem de roubar. Por fim, ainda tem o Diabo, Jesus cristo e Ave Maria. Todos esses personagens, entre outros, dão ao filme uma história simplesmente incrível e muito engraçada. 
Com certeza, você que está lendo essa resenha já assistiu esse filme ou, no mínimo já ouviu falar, mas eu quis fazer esse post por que é sempre bom ter em nosso catálogo de resenhas, uma obra de arte como esta! 





{ Resenha } O código da vinci


Autor(a): Dan Brown

Ano de lançamento: 2003

Número de páginas: 312

Gênero: Suspense / mistério

Classificação: 5/5



Sinopse: Um assassinato dentro do Museu do Louvre trás a tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus cristo. Com a ajuda da criptógrafa Sophie Neveu, o professor de simbologia Robert Langdon  segue pistas ocultas nas obras de Leonardo da Vinci e se debruça sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Gral. 

♦♦♦

Esse foi o livro que despertou meu interesse pela leitura e foi, também, o livro que fez eu me apaixonar pelo autor Dan Brown. Sua escrita, seus temas, suas polêmicas... Tudo isso fez com que ele se tornasse meu autor predileto. E falo isso sem medo! E foi inspirado nele, que comecei a escrever e hoje estou escrevendo meu terceiro livro. 
Algumas pessoas não gostam dele por que dizem que ele tem uma formula pronta para escrever seus livros e tal... Mas a única coisa que ele faz, é no final de cada capítulo deixar alguma frase ou fala de efeito para que o leitor fique mais curioso para saber o que vai acontecer e acabe lendo ainda mais. E isso, elem de dar super certo, não tem nada de errado. 
Esse é o primeiro livro da saga do professor Robert Langdon, se passa em Paris e começa com o assassinato do renomado curador do Museu do Louvre Jacques Sauniére. O assassino é um sacerdote fanático da igreja católica, que a mando da mesma, foi atrás dos quatro protetores do segredo que a igreja tanto temia que viesse a tona. (Sim, nesse livro a igreja católica é a grande vilã). 
Assim como os outros três guardiões, o curador do Museu contou uma mentira ensaiada caso ele e os outros protetores fossem encontrados. Mas o que ele não esperava era que, mesmo "contando o que o criminoso queria saber", iria levar um tiro no estômago e ser deixado para morrer ali mesmo. Já sabendo que iria morrer e que com certeza o criminoso também já teria matado os outros guardiões do segredo, um medo tomou conta de seu corpo mais do que o da sua própria morte. O segredo não podia se perder com ele. Ele precisava repassar adiante para alguém de extrema confiança. 
Concentrando todo seu conhecimento e a força que lhe restava, Jacques Sauniére desenhou um pentagrama em seu peito, deixou pistas visíveis e ocultas na cena do crime onde apenas uma pessoa seria capaz de decifra-las. 
Robert Langdon, professor de simbologia na Universidade de Harvard, foi acionado pela polícia judiciária francesa. Por que? Primeiramente por seu conhecimento em simbologia, seguidamente por seus planos de se encontrar com Jacques Sauniére naquele dia em que ele foi morto... Só então Robert percebe que está sendo acusado do assassinato do curador. Isso por que ele deixou uma frase ao lado do seu corpo: "PS: encontre Robert Langdon". Para o chefe da polícia francesa, isso é motivo mais que suficiente para acusar o professor pelo assassinato. Ele entende que, no ultimo suspiro de vida, o curador do museu quis identificar seu assassino. 
Para se livrar dessa enrascada, Robert ganha a ajuda da criptógrafa da polícia judiciaria francesa, Sophie Neveu, que também é neta de Jacques Sauniére. Juntos, eles vão tentar decifrar todos os mistérios e conspirações envolvidas por trás desse assassinato. 




{ Resenha } A ampulheta sem fim


Autor(a): R. M. Azevedo

Ano de lançamento: 2009

Número de páginas: 216

Gênero: Ficção cientifica / fantasia

Classificação: 4/5



Sinopse: Existe uma terra onda a fantasia e a realidade são apenas dois lados do mesmo cosmos, onde os segredos do tempo estão abertos a quem quiser decifrá-los. 
Sufocada pela mesmice de sua vida, Zara trabalha em uma grande cidade. Gerente de projetos em tempo integral, ela pouco tempo tem para qualquer coisa além do seu trabalho. Vê na ampulheta, objeto recorrente em seus sonhos, a chance de fugir dessa realidade, não importando as consequências. 
Apesar de mais jovem, não muito diferente de Zara, é seu primo Aron, cuja ansiedade parece correr mais rápido que o próprio tempo. Para Aron, dominar o tempo é a chave para o sucesso. 
Você pode culpá-los? O que você faria se tivesse o tempo em suas mãos? 

♦♦♦

Eu já havia dito antes que existe muita gente boa escrevendo, e esse livro é mais uma confirmação disso. O autor descreve as cenas com riqueza de detalhes, fazendo-me transportar para um outro universo, onde existiam reis, rainhas, seres mágicos e cavalos alados. E eu sempre amei livros assim. Outro ponto positivo e bem interessante é que o livro é uma narrativa em primeira pessoa, mas com dois personagens principais e a cada capítulo, o autor conta a história com uma visão diferente de cada personagem. 
O inicio da história é um pouco parado, e confesso que achei que não iria gostar do livro, mas me surpreendi com o desenvolvimento da trama, onde o autor vai prendendo o leitor aos poucos. 
A história começa contando a vida de Zara, uma gerente de projetos em uma empresa na cidade grande, e que está entediada com a mesmice da sua vida monótona e ao mesmo tempo corriqueira. Depois passa a contar a história de Aron, primo de Zara que não é muito diferente dela. Ambos tem um certo problema particular em relação ao tempo em suas vidas. Ambos gostariam de ter mais tempo para fazer o que era necessário durante seus dias.
Até esse ponto não havia acontecido nade de relevante para a história, exceto pelos sonhos estranhos que Zara tinha com uma estranha ampulheta, que aparentava estar sempre estática. Uma certa noite, quando ela havia marcado de sair com sua melhor amiga e colega de trabalho, Keira, algo estranho acontece. Zara vê a tal ampulheta dos seus sonhos na tela de seu computador. Por algum pensamento absurdo que passou por sua cabeça, ela tentou pegar a tal ampulheta, e por incrível que pareça, conseguiu colocar a mão dentro da tela do computador e pega-la.
Com isso, ela, Keira, Aron e seu melhor amigo, Lester, foram parar em um mundo com criaturas mágicas, palácios... E foi essa parte que não ficou muito clara para mim. Ainda fiquei com uma certa dúvida do por que o primo de Zara e seus outros dois amigos foram parar nesse mundo junto com ela, acho que essa parte merecia uma explicação mais detalhada, mas tudo bem. Isso não faz com que o livro seja ruim. Ele é sim um livro com uma história bem legal que vale a pena ser lida. Um fato nessa "migração" de um mundo para o outro, se é que posso chamar assim, que achei bem interessante foi que todos eles haviam regredido suas idades. Todos eles haviam voltado para a adolescência.
Nesse mundo eles encontram um ancião que lhes explica que a "ampulheta estática" foi roubada e por isso os dois lados da faixa do cosmos foi distorcida, fazendo com que a realidade humana e aquele mundo virassem uma única realidade. Ele conta, também, sobre a lenda de quatro crianças que irão recuperar a ampulheta, devolve-la ao seu devido lugar e livrar aquele mundo da tirania do rei e da rainha que queriam, simplesmente, ter a ampulheta só para eles e assim, ter o tempo em suas mãos. E eles: Zara, Aron, Keira e Lester eram essas quatro crianças.




{ Resenha } The 100


Titulo: The 100

Ano de lançamento: 2014

Status: Em produção

Gênero: Ficção cientifica 

Classificação: 4/5



"Eu nasci no espaço, nunca senti o sol em meu rosto ou respirei ar de verdade, ou flutuei na água. Nenhum de nós o fez. Por três gerações a arca manteve o que restou dos humanos vivos, mas agora esta casa está morrendo, e nós somos a última esperança da humanidade. Cem prisioneiros enviados em uma missão desesperada para a terra firme. Cada um de nós está aqui por que violou a lei. Em terra firme não há lei. Tudo o que devemos fazer é sobreviver. Mas seremos testados pela terra, pelos segredos que ela esconde, e acima de tudo, por cada um de nós". 
É exatamente assim que começa o primeiro episódio desta série que me prendeu do início ao fim. Pelo menos até o fim das temporadas que já estão no ar. 
"The 100" teve sua primeira temporada lançada em 2014, inicialmente com 13 episódios. Quando eu comecei a assistir tive a impressão de ser uma série futurística, mas no decorrer da história minha visão mudou e comecei a achar que era uma série daqueles tempos em que existiam guerreiros que lutavam com espadas, montados em cavalos... Depois vi que tinha uma semelhança muito grande com a série "Lost". 
Sua história se passa 97 anos após a terra ter sofrido com uma guerra nuclear. O que restou da humanidade foi transferida para estações espaciais, e durante três gerações as pessoas viviam no espaço, em um lugar chamado de "arca". 
Porém esse lar da humanidade começou a morrer, a falta de oxigênio era um problema que não tinha como ser resolvido e os lideres que a comandavam tiveram que tomar uma atitude extrema. 
Cem prisioneiros foram selecionados para serem enviados a terra para saber se ela era habitável, se os níveis de radiação haviam diminuído o suficiente para que os humanos voltassem a viver nela. No momento em que estavam na nave para voltar, os adolescentes receberam uma mensagem do líder. "Vocês foram selecionados por que são descartáveis". Mas o mais incrível e com certeza o mais revoltante, foi o fato de o filho dele estava entre os escolhidos. 

Quando chegam percebem que sim, a terra é habitável, mas tudo estava mudado, nada era o que eles imaginavam. A radiação ainda era um fato real, e a prova disso era um veado e alguns cavalos de duas cabeças que eles avistaram quando estavam explorando o terreno. 
Confesso que quando vi essas coisas comecei a pensar que o máximo que iria acontecer era eles terem que enfrentar alguns animais que sofreram mutações por causa da exposição a radiação e tal. Mas foi ai que fui pego totalmente de surpresa. Eles não estavam sozinhos. Haviam outros humanos que habitavam a terra, ao qual eles começaram a chamar de "terrestres". Começa, então, uma guerra entre o povo que habita a terra, e os humanos que moravam na estação espacial, pela sobrevivência naquele novo mundo repleto de mistérios.
A série ainda está sendo produzida. Atualmente está na quarta temporada, e a quinta está programada para ser lançada em Março de 2017. Um ponto negativo, pelo menos para mim, foi a terceira temporada que ficou meio confusa, mas isso não reduz em nada a qualidade da série.




{ Resenha } Elfen Lied


Titulo: Elfen Lied

Status: Finalizada

Temporadas: 1

Gênero: Terror / Drama

Classificação: 4/5



Quando era mais novo eu assistia muitos animes, e esse foi um dos primeiros que eu assisti em toda minha vida, e talvez um dos melhores. Ele me prendeu do inicio ao fim, e para os que gostam de mistério e muito sangue, também irão amar! 
Elfen Lied foi primeiramente uma série em mangá, mas devido ao seu sucesso teve sua adaptação para anime. Infelizmente as histórias se divergem no volume 7 do mangá e o episódio 12 do anime, porque quando começaram a produzir a versão em anime, o mangá ainda estava inacabado. A série em anime tem apenas uma temporada e é composta por 13 episódios. Infelizmente a história seguiu o curso do mangá até certo ponto, não terminando sua trama. 

A história desse fantástico anime se passa na cidade japonesa chamada Kamakura, e começa com a fuga de Lucy de um laboratório onde cientistas fazem experimentos genéticos. A esses experimentos são dado o nome de "Diclonios", e Lucy é a rainha deles. 
Na fuga ela mata o máximo de seguranças que pode, devido a sua raiva por ser usada como cobaia nesses experimentos genéticos. Quando já havia saído ele é atingida com um tiro pelas costas, que acerta sua cabeça. 
Momentos depois ela é encontrada na praia da cidade por Kouta e sua prima Yuka, sem roupas, sem memórias, com um comportamento de criança e a unica coisa que conseguia pronunciar era algo parecido com um miado de gato. "Nyuu". Kouta e sua prima a levam para casa, enquanto que o pessoal do laboratório, desesperados com o que possa acontecer, agora que Lucy está solta, enviam assassinos profissionais e outras "Diclonios" para mata-la. E é nesse momento, em conjunto com as mortes e as lutas, que o anime prende ainda mais a atenção de quem está assistindo. 

Elfen Lied se encaixa perfeitamente nos requisitos de uma excelente obra do gênero proposto. O desenvolvimento das informações flui num ritmo extremamente bem trabalhado que me surpreendeu muito. 
Se eu fosse contar todas as cenas que me deixaram em estado de choque, buscando alguma razão da existência do meu ser naquele momento (sim, sou exagerado hehe) esse post iria ficar gigantesco. Mas devo destacar um ponto "negativo". E uso aspas para escrever essa palavra, pois o que é negativo para mim, pode não ser para outras pessoas. O anime é simplesmente maravilhoso, mas no último episódio dão a entender que terá uma continuação, mas, para decepção de muitos, até hoje não continuaram. 





{ Resenha } Uma prova de amor


Titulo: Uma prova de amor

Ano de lançamento: 2009

Tempo de duração: 1h e 46 minutos 

Gênero: Drama

Classificação: 5/5



Esse é o tipo de filme que faz com que qualquer pessoa fique com lágrimas nos olhos, e para os mais sensíveis, sentimentalmente falando, um prato cheio para morrer de chorar com essa história linda! O nome descreve bem o conceito da trama. É, verdadeiramente, uma prova de amor entre duas irmãs. 
"Uma prova de amor" conta a história de Kate, uma adolescente que sofre de Leucemia desde que era pequenininha. Sua mãe, Sara, e seu pai, Brian, tentam de tudo para livrar a filha dessa devastadora doença, mas infelizmente não conseguem. Em uma cartada final, eles seguem a dica de um médico. Decidem, então, ter mais um filho, para assim, essa criança "de proveta" ser a salvadora que Kate tanto precisa. 
Como? Ela seria a doadora de células troncos, sangue, órgãos e tudo mais que Kate precisaria para sobreviver. 
Durante alguns anos tudo corre bem, até que Anna, a irmã "de proveta", decide que não quer mais fazer aquilo. Não quer mais passar por tantos procedimentos médicos, não quer mais ser a doadora que, um dia, poderá salvar a vida da irmã. Confesso que no começo fiquei com ódio dela, mas no final descobrimos o verdadeiro motivo para ela ter tomado essa atitude. E, claro, não podemos julga-la, pois deve ser muito difícil para qualquer pessoa e, principalmente para uma criança, saber que você só foi gerado para salvar outra vida, como se a sua vida não tivesse importância. Isso com certeza é duro para qualquer pessoa.
Para poder impedir os procedimentos médicos, por ainda ser menor de idade, Anne contrata o advogado Alexander Campbell para processar sua própria família. Claro que ele fica intrigado com aquela história e aceita o caso. 

Sara, mãe de Kate e Anna, também é advogada e responde aquele processo a altura, fazendo de tudo o que fosse possível para continuar com os procedimentos médicos para salvar Kate, mesmo que para isso tenha que obrigar Anna a doar seus órgãos. óbvio que isso me deixou, de certa forma, revoltado, pois com isso, ela mostra que apenas a vida de Kate é importante para ela. Sara fica tão desesperada e focada em tentar salvar Kate, que nem percebe que seu outro filho, Jesse, é disléxico. Mas prefiro não entrar em muitos detalhes com relação a esse assunto, afinal de contas, não posso dizer nada a respeito do amor de uma mãe por seus filhos quando se trata de salvar a vida deles, pois não sou uma.
Com uma história triste e ao mesmo tempo linda, "Uma prova de amor" prende sua atenção do inicio ao fim. Eu particularmente, embora já tenha assistido milhares de vezes esse filme, não consigo assistir sem me emocionar, sem chorar... (Sim, eu sou uma "manteiga derretida"). 




{ Resenha } Dr. House


Titulo: Dr. House

Status: Finalizada

Temporadas: 8

Gênero: Drama / comédia

Classificação: 5/5



Esta foi, de longe, a melhor séria que eu já assisti em toda minha vida! Ela é bem grande, mas não é entediante como muitas que vemos por ai. Pelo contrário. Cada episódio surge um mistério, uma doença que o Dr House e sua equipe precisam solucionar para salvar mais uma vida. 
Na minha opinião, o melhor da séria é justamente o personagem principal, o doutor Gregory House, com sua genialidade e seu mau humor, somando a uma pitada de sarcasmo e sua ousadia para fazer coisas que nenhum médico do mundo arriscaria fazer para tentar salvar uma vida. 

Dr. House é infectologista e chefe do departamento de diagnósticos do hospital Princeton-Plainsboro, em Nova Jersay. Eu comecei a série odiando este homem arrogante, ignorante, manipulador... E terminei amando-o de todas as formas possíveis. 
Porque? Ele é um homem extremamente mau-humorado, cético, sarcástico, anti-social e um viciado em remédio para dor . É o tipo de pessoa que procura se manter o mais longe possível das pessoas e, principalmente, dos seus pacientes. Um tanto incomum, House leva essas características para o campo profissional, fazendo com que todos a seu redor o odeie, exceto sua chefe, a Dra. Cuddy e seu melhor e único amigo, Dr. James Wilson. Ele tem uma enorme necessidade de mostrar que está sempre certo e que é mais inteligente que todos os seus colegas de trabalho. E claro, isso faz com que todos que estejam assistindo a série odeie esse personagem, mas aos poucos vamos entendendo os motivos que o fazem agir desta forma. 

Tem também outros personagens secundários que deixando a série ainda mais perfeita. Cada um com sua peculiaridade, malicia e sua maneira de aguentar o chefe mau-humorado. 
A trama ainda tem um amor enrustido entre House e sua chefe, a Dra. Cuddy. Ambos sentem um sentimento ou uma atração sexual tão forte um pelo outro que não conseguem disfarçar para ninguém, mas não assumem essa paixão ou atração física nem a pau. Isso deixa a série ainda mais engraçada e interessante, fazendo com que a pessoa que esteja assistindo não queira mais parar. Eu, particularmente, me apeguei a todos eles de uma maneira diferente, cada um a sua maneira, e até hoje, muito tempo após ter assistido, sinto falta de todos eles, mas principalmente do tão odiado e amado ao mesmo tempo, Dr. Gregory House. Há um momento em que ele faz com que todos pensem que ele está doente, com câncer, o que me fez derramar em lágrimas mesmo sem nada ter acontecido com ele, mas serviu para eu ter uma noção do que iria sentir quando a série terminasse. E quando isso aconteceu...