{ Resenha } Sétimo


Autor(a): André vianco

Ano de lançamento: 2002

Número de páginas: 460

Gênero: Terror

Classificação: 4/5



Sinopse: Um vampiro, desperto depois de quinhentos anos, abre os olhos numa terra estranha, nova e cheia de sangue. Sétimo decide fazer do Brasil seu novo lar, e para tanto terá de formar um verdadeiro exército de vampiros para demarcar seu território, exibir seu poder e dar combate aos caçadores. Elege um vampiro recém-criado (Tiago) para servi-lhe de guia, general e pupilo. Em sua sede por sangue e conquista, ao autoproclamar-se a criatura mais poderosa da terra, Sétimo atrai, além de vampiros, um sem-número de inimigos deste e do outro mundo. Esses inimigos despenderão de esforços sobre-humanos, empregando, além de armas carregadas com balas de prata, dentes pontiagudos e poderes paranormais. O espetáculo mais bizarro da terra não pode parar. 

***

ATENÇÃO: não leia esta resenha se você ainda não leu o livro "Os sete", pois este livro é uma sequencia da história e será quase impossível fazer a resenha de "Sétimo" sem dar algum spoiler do que tenha acontecido no final de "Os sete". 

***

André Vianco me conquistou com suas histórias e com sua escrita. "Sétimo" é mais uma prova do porque ele é considerado um dos maiores escritores brasileiros de terror da atualidade. Com sua escrita muito fluida, ele cativa o leitor a cada capítulo, prendendo sua atenção e o deixando cada vez mais curioso com o que possa vir acontecer na trama.
Na continuação de "Os sete", com o fim de cinco dos sete vampiros do Rio D'ouro (restando apenas Sétimo e Dom Afonso), Sétimo desperta após ingerir o sangue de Cezar. O humano fica aturdido ao ver que, sem querer, apenas com um ferimento jorrando sangue para a boca do vampiro, acaba despertando o mais perigoso e poderoso maldito do D'ouro. E em algumas partes chega até a ser engraçado, porque o monstro, em forma de um morcego gigante, começa a chama-lo de "pai".
Agora, com Sétimo desperto, Cezar, Tiago e Eliana decidem que é melhor ficarem por perto do vampiro. Não por uma questão de gosto, mas sim de necessidade. Cezar, porque foi jurado de morte por Dom Afonso, o vampiro-lobo que em "Os sete", foi derrotado pelo humano. Tiago, porque foi transformado em vampiro para salvar a vida da amada Eliana no primeiro livro da saga e a própria Eliana, a humana que decide acompanha-los por não querer se afastar do homem que ama. 
O problema é que Sétimo decide criar um exército de vampiros e combater seus caçadores. Quando não sabem mais o que fazer, o trio se afasta e decide acabar com os planos do vampiro. E é nesse enredo que a trama se desenvolve: Sétimo criando seu exército, Dom Afonso fazendo a mesma coisa, pois sabe que Sétimo irá atrás dele a procura de vingança (quem já leu o primeiro livro da saga saberá o motivo). O exército brasileiro tentando, a todo custo, exterminar com os vampiros; Tiago, Cezar e Eliana tentando aniquilar com a raça dos malditos, e ainda tem a aparição de um descendente do tão temido caçador de vampiros Tobia, citado tantas vezes no livro "Os sete". 
Para mim, algo "negativo" em relação aos livros de André Vianco, e eu coloco a palavra negativo entre aspas, pois essa é uma opinião particular, é que alguns dos seus capítulos são extremamente grandes, mas isso é apenas um detalhe, e eu super recomendo a leitura desse maravilhoso livro. Não só do livro, mas da saga toda. 




{ Resenha } 3% (Três por cento)


Titulo: 3% (Três por cento)

Ano de lançamento: 2016

Status: Em produção

Gênero: Ficção / drama

Classificação: 3/5



Essa foi a primeira série totalmente brasileira produzida pela Netflix. A primeira temporada é bem curta, com oito episódios com quarenta minutos cada um. Com uma história distópica, quem lê a sinopse pode até acha-la parecida com outras séries do mesmo tema, como "The 100" "Jogos Vorazes" "Divergente"... Porém eu vejo uma diferença entre a série 3% e essas outras: Em 3% os jovens tem a chance de escapar da vida de miséria que eles tem. 
Quando comecei a assistir demorei um pouco a me interessar pela trama, as vezes achando a história até um pouco massante. Até começar a entender o jogo político por traz de tudo o que acontece. 

Tudo começa com uma seleção, onde cada jovem de 20 anos de idade tem a chance de escapar da miséria total e passar a viver no "Maralto", um lugar com promessas de riqueza, fartura, paz... 
O processo seletivo é comandado por Ezequiel, que ao mesmo tempo que tem de comandar todo um processo, tem de se livrar da perseguição de alguns membros do conselho do "Maralto" que acha a sua forma de seleção um tanto extrema. É enviada, então, uma mulher para avalia-lo durante esse processo. Mas com um detalhe: ela quer tomar o lugar dele. E embora eu goste mais de "ação", a série me prendeu justamente por esse jogo político, onde ninguém sabe em quem pode confiar. E isso vale, também, para os candidatos. 

Isso porque, durante o processo de seleção para ver quem vai se tornar parte dos 3% e ir para o "Maralto", eles tem de passar por provas, algumas individuais e outras em grupo, mas cada um com sua personalidade, seu caráter e seus objetivos. Com o desenrolar da trama, o tele espectador começa a obter mais detalhes de cada personagem, e a partir desse ponto começa a torcer pela vitória de uns, e morte de outros. (Esse foi o meu caso. Sim, eu torci pela morte de alguns).
Juntando a tudo isso, ainda existe um grupo de rebeldes que acha o processo algo totalmente injusto e quer, a todo custo, acabar com o processo de seleção e dar, a toda população, uma vida mais justa. 
A série retrata bem a vida do cidadão brasileiro na atualidade. Tirando esse processo seletivo, claro, que na vida real não existe, nós vivemos em um mundo totalmente injusto, onde poucos tem muito, e muitos tem quase nada. 

video


{ Resenha } Santa Clarita Diet


Titulo: Santa Clarita Diet

Ano de lançamento: 2017

Status: Em produção

Gênero: Comédia

Classificação: 4/5



Eu sempre gostei de filmes e séries de comédia, e quando vi que a Netflix havia lançado esta, fiquei super empolgado para assistir, pois tem como protagonista a super atris Drew Barrymore. Quando assisti ao trailer confesso que fiquei meio que com um pé atrás em relação a história ser sobre uma mulher zumbi, mas que não é uma série de terror e sim de comédia.

A trama se passa em Santa Clarita, uma pequena cidade da Califórnia. Com foco principal no casal Sheila e Joel e um "pequeno probleminha" que muda completamente a vida tediosa que os dois tem. Algo sobrenatural acontece com Sheila quando ela passa mal e vomita muito (muito mesmo) e morre logo em seguida. Mas alguns minutos após o acontecimento que (para quem assistir a cena vai ficar chocado), sujou todo um quarto do piso ao teto, ela "volta a vida" apenas "um pouquinho morta". Ela muda totalmente sua personalidade de mulher pacata, retraída, que não gostava de fazer sexo com o marido, para uma mulher ousada, que fala o que pensa sem pensar nas consequências, com um desejo sexual insaciável, não sente mais sono, não sente mais dor, uma vontade incontrolável de comer carne toma conta dela... Sem saber o que fazer, Shaila, Joel e Abby, a filha do casal, vão até a casa do vizinho Eric, um nerd que é completamente apaixonado pela filha do casal. 

E essa parte ficou um pouco forçada, na minha opinião, pois ao invés de procurar um médico, um especialista, eles foram pedir a opinião de um adolescente. Eles até foram para um hospital, mas como o único sintoma era o vomito, ninguém deu muita atenção. Tudo bem, mas eles poderiam ter procurado outros hospitais. Após fazer algumas pesquisas, Eric chega a conclusão de que Sheila está morta. Simplesmente virou um zumbi. E essa foi outra parte que eu realmente espero que a Netflix explique na segunda temporada, pois o que aconteceu foi ela ter vomitado (muito) e depois ter virado um zumbi, mas sem nenhuma explicação de como isso poderia ter acontecido. 
Após essa descoberta (nem um pouco fantástica), o casal tem de começar a matar humanos para que Sheila se alimente. Eles, então, começam a caçar apenas criminosos, pois assim, eles pensam estar juntando o útil ao agradável. Alimentando Sheila, e livrando a sociedade de bandidos. E essas caçadas são muito engraçadas. A série é bem bobinha, mas com piadas muito bem elaboradas e inovadoras, fazendo qualquer pessoa dar boas risadas. Eu particularmente estou ansioso para assistir a segunda temporada, que, segundo a Netflix, está com o lançamento previsto para o ano que vem. 

video


{ Resenha } O Último desafio


Titulo: O Último desafio

Ano de lançamento: 2013

Tempo de duração: 1h e 47 minutos

Gênero: Ação

Classificação: 4/5



Esse não é um filme muito inovador na sua estética, o enredo é um tanto mediano, onde as cenas são tipicamente clichês dos filmes deste gênero. Lutas corporais, tiroteios, perseguições, sequestros... Mesmo assim, ele satisfaz quem o está assistindo, pois cumpre com seu papel de apenas entreter. É o tipico filme que vale a pena assistir quando se está querendo passar o tempo.
Talvez por causa de sua idade, Arnold Schwarzenegger não tem tem tantas cenas de ação quanto nos outros filmes, por isso ele recebe uma ajudinha brasileira de Rodrigo Santoro, que no enredo, o ajuda a se livrar dos bandidos. 

Tudo começa quando um perigoso traficante de drogas é preso, mas com o dinheiro e a influência que tem, consegue armar um plano para escapar quando ainda está sendo transferido.
Mas sua transferência era um sigilo, o que faz o detetive John Bannister, procurar por algum traidor na sua equipe que possa ter se vendido. No seu complexo plano de fuga, Gabriel Cortês pretende passar por uma cidade de clima desertino, que faz fronteira com o México, no Estado de Los Angeles. Mas o que ele não sabe, é que o xerife dessa pacata cidade, em conjunto com sua equipe que é formada por apenas cinco pessoas, fará de tudo para impedi-lo de atravessar a fronteira. E essa foi uma parte que me deixou bem surpreso, por que o que o FBI não conseguiu fazer, um xerife e uma equipe de cinco pessoas fez.  Eu gostei do filme. Como disse anteriormente, ele cumpre com seu papel proposto pelo gênero de entreter o tele espectador que está querendo passar o tempo de bobeira apenas assistindo um bom filme.

video